Sample Sidebar Module

This is a sample module published to the sidebar_top position, using the -sidebar module class suffix. There is also a sidebar_bottom position below the menu.

Sample Sidebar Module

This is a sample module published to the sidebar_bottom position, using the -sidebar module class suffix. There is also a sidebar_top position below the search.
Educação física – Bacharelado

 

Sobre o Curso

O Curso de Bacharelado em Educação Física se propõe a formar profissionais qualificados para analisar criticamente a realidade social, para nela intervir por meio de manifestações do exercício físico e práticas esportivas. Tendo por finalidade fomentar a adoção de um estilo de vida fisicamente ativo para a auxiliar na promoção da saúde proporcionando melhor qualidade de vida.

Naturalmente, o curso ora proposto não pretende formar médicos. Contudo, sua atuação está incluída em um sistema que envolve a prevenção e/ou forma de tratamento de doenças. O bacharel em Educação Física não pode conhecer apenas do exercício pelo exercício, mas conhecer e disseminar seus benefícios conhecendo as intensidades e volumes recomendados pela OMS, a qual estabelece os princípios de treino para cada tipo de doença como forma de tratamento. Além de ter ciência de como procede o SUS de nosso país, para junto as classes médicas buscar a melhor forma de tratamento sem efeitos colaterais por meio do exercício.

 

Custo de Investimento

Para mais informações, ligue para nosso Call Center: (62) 3613-0423

Matriz curricular

Período: 1

Disciplina do Bacharelado em Ed. Física MAUÁ

C.H

Inclusão Social, História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena

60

Biologia Celular

60

Informática Aplicada - EAD

60

Primeiros Socorros

40

Políticas Públicas para promoção da Saúde - EAD

60

Metodologia Científica 1

40

Sociologia dos Esportes

40

Fund. Psicológicos do Esporte e do Exercício

60

Total

420

Período: 2

Disciplina do Bacharelado em Ed. Física MAUÁ

C.H

Teoria e Prática da Dança

60

Anatomia 1

60

Metodologia Científica 2

40

Fundamentos Histórico-Filosóficos da Ed. Física

40

Bioquímica do Exercício

60

Bioética

40

Direito e Legislação Desportiva

40

Total

340

Período: 3

Disciplina do Bacharelado em Ed. Física MAUÁ

C.H

Teoria e Prática da Recreação e do lazer

60

Anatomia 2

60

Fundamentos de Nutrição

40

Teoria e Prática do Basquetebol

60

Fisiologia dos Sistemas

60

Educação Física e Qualidade de Vida

40

Total

320

Período: 4

Disciplina do Bacharelado em Ed. Física MAUÁ

C.H

Fisiologia do Exercício

60

Teoria e Prática do Futebol/Futsal

60

Bioestatística Aplicada à Ed. Física

40

Estágio Supervisionado 1

75

Teoria e Prática do Voleibol

60

Medidas e Avaliação em Ed. Física

60

Condicionamento Físico

40

Total

395

Período: 5

Disciplina do Bacharelado em Ed. Física MAUÁ

C.H

Teoria e Prática da Ginástica Geral

60

Teoria e Prática da Musculação

60

Atividades em Academia

40

Estágio Supervisionado 2

75

Aprendizagem Motora - EAD

60

Teoria e Prática da Natação

60

Empreendedorismo e Inovação 1

40

Organização de Eventos

40

Total

435

Período: 6

Disciplina do Bacharelado em Ed. Física MAUÁ

C.H

Saúde Pública

40

Atividade Física Adaptada

60

Empreendedorismo e Inovação 2

40

Estágio Supervisionado 3

75

Educação Física e Meio ambiente - EAD

40

Teoria e Prática da Luta

60

Teoria e Prática do Atletismo 1

60

Teoria e Prática dos Jogos de Raquete

60

Atividades Complementares 1 - EAD

80

Total

515

Período: 7

Disciplina do Bacharelado em Ed. Física MAUÁ

C.H

Biomecânica Desportiva

60

Saúde Coletiva - EAD

60

Tópicos Especiais 1 (Obesidade e DMII)

40

Optativa 1 – LIBRAS e outras

60

Estágio Supervisionado 4

75

Atividades Complementares 2 - EAD

80

Crescimento e Desenvolvimento Humano

40

Cinesiologia

60

Optativa 2 - EAD

60

Total

535

Período: 8

Disciplina do Bacharelado em Ed. Física MAUÁ

C.H

Teoria e Prática do Treinamento Desportivo

60

Esportes de Aventura

60

Tópicos Especiais 2 (Hipertensão Arterial Sistêmica e Cardíacos)

40

Atividades Complementares 3 - EAD

80

Teoria e Prática do Atletismo 2

60

Teoria e Prática do Handebol

60

Exercício Físico para Grupos Especiais

40

Optativa 3 - EAD

60

Total

460

 

Portaria do Curso

Portaria de Autorização de Educação Física

SECRETARIA DE REGULAÇÃO E SUPERVISÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

PORTARIA Nº 606, DE 16 DE JUNHO DE 2017

O SECRETÁRIO DE REGULAÇÃO E SUPERVISÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR, no uso da competência que lhe foi conferida pelo Decreto nº 7.690, de 2 de março de 2012, tendo em vista o Decreto nº 5.773, de 9 de maio de 2006, e suas alterações, e a Portaria Normativa nº 40, de 12 de dezembro de 2007, republicada em 29 de dezembro de 2010, do Ministério da Educação, resolve:

Art. 1º Ficam autorizados os cursos superiores de graduação, conforme planilha anexa, ministrados pelas Instituições de Ensino Superior, nos termos do disposto no artigo 35, do Decreto nº 5.773, de 9 de maio de 2006, alterado pelo Decreto nº 6.303, de 12 de dezembro de 2007.

Parágrafo único. As autorizações a que se refere esta Portaria são válidas exclusivamente para os cursos ministrados nos endereços citados na planilha anexa.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

 

HENRIQUE SARTORI DE ALMEIDA PRADO

 

Nº de Ordem Registro e-MEC nº Curso Nº de vagas totais anuais Mantida Mantenedora Endereço de funcionamento do curso
8. 201408962 EDUCAÇÃO FÍSICA (Bacharelado) 200 (duzentas) FACULDADE BRASIL CEN- TRAL INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA DO PLANALTO CENTRAL LTDA - ME  QC 08, S/N, LOTES 07/16, MAN- SÕES VILLAGE, ÁGUAS LINDAS DE GOIÁS/G

 

Coordenação

Caio Victor de Sousa Silva

 

  • Acesse este CV AQUI
  • Última atualização do currículo em 29/04/2018

 


Possui graduação em Educação Física pelo Centro Universitário de Brasília, Especialização em Fisiologia do Exercício pela Universidade de Brasília, Mestrado em Educação Física pela Universidade Católica de Brasília (bolsista CAPES/PROCAD). Atualmente estudante de Doutorado em Educação Física na UCB (CAPES/PROSUP I). Ademais, é membro do Grupo de Estudos do Desempenho Humano e das Respostas Fisiológicas ao Exercício. Tem como principal linha de atuação e pesquisa a investigação de diferentes marcadores bioquímicos e biomoleculares de envelhecimento celular em populações de atletas master de diferentes modalidades e não atletas. Tem ainda como interesse de pesquisa, o estudo de diferentes estratégias de pacing e recursos ergogênicos em esportes de endurance. (Texto informado pelo autor)

 

Identificação


Nome: Caio Victor de Sousa Silva
Nome em citações bibliográficas: SILVA, C. V. S.;SOUSA, C. V.;VICTOR DE SOUSA, CAIO;DE SOUSA, CAIO VICTOR;SOUSA, CAIO VICTOR;SOUSA, CV;Victor de Sousa, Caio;DE SOUSA, CAIO V.

 

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Católica de Brasília.
Quadra QS 7
Areal (Águas Claras)
71966700 - Brasília, DF - Brasil
Telefone: (61) 33569698

 

Formação acadêmica/titulação


2016
Doutorado em andamento em Educação Física (Conceito CAPES 5).
Universidade Católica de Brasília, UCB/DF, Brasil.
Orientador: Herbert Gustavo Simões.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
2014 - 2016
Mestrado em Educação Física (Conceito CAPES 5).
Universidade Católica de Brasília, UCB/DF, Brasil.
Título: PONTO DE INFLEXÃO DO DUPLO PRODUTO COMO MÉTODO ALTERNATIVO PARA DETERMINAÇÃO DO LIMIAR VENTILATÓRIO E DE LACTATO E ASSOCIAÇÃO COM INDICADORES DE DESEMPENHO E SAÚDE EM INDIVÍDUOS DIABÉTICOS TIPO 2,Ano de Obtenção: 2016.
Orientador: Herbert Gustavo Simões.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Grande área: Ciências da Saúde
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Fisiologia.
Grande Área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva / Subárea: Saúde Pública.
2014 - 2015
Especialização em Fisiologia do Exercício. (Carga Horária: 360h).
Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Título: TCC.
2011 - 2013
Graduação em Educação Física.
Centro Universitário de Brasília, UniCEUB, Brasil.
Título: NÍVEIS DE APTIDÃO FÍSICA EM ESCOLARES PRÉ-PUBERES: UMA COMPARAÇÃO ENTRE GÊNEROS.
Orientador: RENATA APARECIDA ELIAS DANTAS.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

 

 

 

Formação Complementar


2016 - 2016
Design and Interpretation of Clinical Trials. (Carga horária: 40h).
Johns Hopkins University, JHU, Estados Unidos.
2016 - 2016
Freestyle Stroke and Evaluation. (Carga horária: 60h).
Ironman® University, IRONMAN U, Estados Unidos.
2014 - 2014
Exercise Physiology: Understanding the Athlete. (Carga horária: 30h).
The University of Melbourne, UNIMELB, Austrália.

 

Atuação Profissional



Universidade Católica de Brasília, UCB/DF, Brasil.
Vínculo institucional
 
2014 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Unique Family Fitness Club, UNIQUE, Brasil.
Vínculo institucional
 
2013 - 2014
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estágio, Carga horária: 25
Outras informações
Professor de Musculação


APTIDÃO Assessoria Esportiva, APTIDÃO, Brasil.
Vínculo institucional
 
2012 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estágio, Carga horária: 10
Outras informações
Treinador de Corrida e Ciclismo


Academia Easyfit, EASYFIT, Brasil.
Vínculo institucional
 
2011 - 2012
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Eatágio, Carga horária: 25
Outras informações
Estágio - Professor de Musculação


Faculdade Albert Einstein, FALBE, Brasil.
Vínculo institucional
 
2015 - 2015
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 8
Outras informações
Docente nas disciplinas: Metodologia do Futebol; Fundamentos da Educação Física; e Metodologia do Trabalho Científico.


Centro Universitário de Brasília, UniCEUB, Brasil.
Vínculo institucional
 
2012 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Científica - PIBIC, Carga horária: 20


Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Vínculo institucional
 
2012 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Científica, Carga horária: 20


Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Vínculo institucional
 
2015 - 2016
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: PROSUP, Carga horária: 20

Vínculo institucional
 
2014 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: PROCAD, Carga horária: 30


INSTITUTO MAUA DE PESQUISA E EDUCACAO, IMPE_PPROV, Brasil.
Vínculo institucional
 
2016 - Atual
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 8

Atividades
 
02/2018 - Atual
Direção e administração, FACULDADE MAUÁ DE BRASÍLIA, .
 
Cargo ou função
Coordenação do Decanato de Ciências da Saúde.
02/2018 - Atual
Ensino, Enfermagem, Nível: Graduação
 
Disciplinas ministradas
Biofísica

 

Projetos de pesquisa


2016 - Atual
TENDÊNCIA DE DESEMPENHO, ESTRESSE OXIDATIVO E COMPRIMENTO DE TELÔMEROS DE ATLETAS MASTER DE VELOCIDADE E ENDURANCE
 
Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Marcelo Magalhães Sales em 21/12/2017.
 
Descrição: Introdução: envelhecer é um processo biológico natural e progressivo que afeta a todas as espécies, além de ser o principal fator de risco para diversas doenças. Por outro lado, o estilo de vida parece ter grande interferência no grau de envelhecimento de seres humanos, modulando os níveis de estresse oxidativo, inflamação crônica e até o comprimento de telômeros (CT), um importante marcador biomolecular de envelhecimento. Desta forma, o estilo de vida de atletas master tem sido postulado como um modelo bem sucedido de envelhecimento saudável. Na medida em que, um estilo de vida inadequado pode levar a um aumento do estresse oxidativo, sendo estes um dos fatores responsáveis pelo encurtamento de telômeros, e ambos estes fatores estão associados a um envelhecimento celular precoce, perda de função tecidual e, por conseguinte, diversas doenças crônicas. Entretanto, não se sabe se atletas master apresentam melhor defesa antioxidante e/ou menor produção de substâncias pró-oxidantes, e/ou CT mais preservados a pares não-atletas. Além disso, a modalidade praticada pelo atleta ao longo da vida também pode levar a diferentes adaptações ao longo dos anos, podendo também interferir na modulação do estado redox e CT. Não obstante, indicadores de desempenho físico já vem sendo utilizados para predizer saúde e mortalidade. Neste sentido, sabe-se que muito se pode aprender sobre a fisiologia humana pela análise de recordes atléticos, de forma que a capacidade atlética/funcional ao longo de diferentes faixas etárias e diferentes modalidades pode dar uma indicação do tipo de exercício que parece levar a uma maior redução do desempenho, que pode ser um reflexo de um envelhecimento acelerado. Objetivo: este estudo tem como objetivo analisar e comparar parâmetros clínicos, pró-oxidantes, antioxidantes e comprimento de telômeros em atletas master de potência e endurance, seus pares não-atletas, e jovens não-atletas. Além disso, também será feita uma análise de tendência de desempenho no Ranking Mundial de atletas master de potencia de endurance, com a finalidade de determinar objetivamente um possível ponto de inflexão de queda de desempenho e comparar este ponto entre atletas de potência e endurance. Método: este projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa e previamente à participação do estudo, todos os participantes receberão informações detalhadas sobre a pesquisa e, caso concordem em participar, deverão assinar um termo de consentimento livre e esclarecido. A amostra será composta por homens aparentemente saudáveis, sendo um grupo de atletas master (velocidade e endurance) e outro de controles não atletas (jovens e meia idade). Todos os sujeito incluídos responderão a uma anamnese, no qual em uma entrevista curta e estruturada serão coletados dados referentes ao histórico de saúde, histórico de treinamento e/ou atividade física, descrição de rotinas de treinamento e nutricionais. Seguida pelas medidas de composição corporal. Finalizando por coleta do sangue venoso. As amostras de sangue venoso passarão por processamento para análises bioquímicas de parâmetros clínicos (perfil lipídico e glicemia) e de estresse oxidativo. Além disso, o DNA de leucócitos extraídos do plasma serão utilizados para análises biomoleculares para medida relativa do comprimento dos telômeros. Por fim, serão utilizados métodos estatísticos comparativos e associativos para análise dos dados de forma a testar as hipóteses previstas no estudo..
Situação: Em andamento;
Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) .

Integrantes: Caio Victor de Sousa Silva - Integrante / Herbert Gustavo Simões - Coordenador / Samuel da Silva Aguiar - Integrante / Thiago dos Santos Rosa - Integrante / Lysleine Alves de Deus - Integrante / Patrick Anderson dos Santos - Integrante / Lucas Duarte Barbosa - Integrante / Érica Caldas - Integrante.
Financiador(es): Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal - Auxílio financeiro / CAPES - Centro Anhanguera de Promoção e Educação Social - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 8 / Número de orientações: 1
2015 - 2016
ANÁLISE DA RESPOSTA DO ESTRESSE OXIDATIVO AO EXERCÍCIO AGUDO COMO PREDITOR DO COMPRIMENTO DOS TELÔMEROS EM INDIVÍDUOS COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 E ATLETAS MASTER DE DIFERENTES MODALIDADES
 
Descrição: O processo de envelhecimento precoce está associado a um maior stress oxidativo, principalmente em indivíduos com diabetes mellitus tipo 2, resultando em uma menor expectativa e a qualidade de vida dos indivíduos. Um biomarcador amplamente reconhecido da senescência celular é o comprimento do Telômero, que são complexos DNA-proteína localizados nas extremidades dos cromossomos, compostos por uma pequena sequência de DNA repetida diversas vezes, que se encurtam a cada divisão celular, promovendo o envelhecimento celular e favorecendo a gênese de diversas doenças. Alguns fatores são apontados como preditores do encurtamento dos telômeros e a maioria está associado de alguma forma à aptidão física, (e.g., consumo máximo de oxigênio, os níveis de irisina, composição corporal), mas não há estudos que explorem o balanço redox como fator preditor do envelhecimento celular. Além disso, apesar de ser bem conhecido o efeito do treinamento físico na melhora da defesa antioxidante, bem como na atenuação do encurtamento dos Telômeros, pouco se sabe sobre o efeito do treinamento físico sobre o balanço redox e sua associação ao comprimento telomérico. Essas lacunas científicas, talvez possam ser explicadas devido à dificuldade em se controlar estudos de longo prazo com treinamento físico em seres humanos. Por isso, atletas máster fazem parte de um grupo seleto de indivíduos que apresentam adaptações fisiológicas do exercício ao longo de vários anos, tornando-se uma população valiosa em pesquisas científicas. Até o momento nenhum estudo investigou em atletas máster de diferentes categorias e indivíduos com DM2 o comprimento dos telômeros, muito menos comparado a resposta do estresse oxidativo como preditor do envelhecimento celular. Diante do exposto, se faz necessário investigar o efeito do exercício agudo controlado sobre o balanço redox e a magnitude do estresse oxidativo como potencial preditor da atividade da Telomerase, das proteínas relacionadas à preservação do comprimento telomérico (TRF1, TRF2 e POT1) e o comprimento do telômero. Para tanto, 96 indivíduos (n =16 por grupo), serão divididos nos seguintes grupos: 1) indivíduos jovens sedentários saudáveis ( ≅ 25 anos); 2) indivíduos de meia-idade sedentários saudáveis ( ≅ 50 anos); 3) indivíduos de meia-idade sedentários com DM2 ( ≅ 50 anos); 4) atletas máster de modalidades de endurance ( ≅ 50 anos); 5) atletas máster de modalidades de potência ( ≅ 50 anos) e 6) atletas máster de fisiculturismo ( ≅ 50 anos). Entre estes indivíduos será verificado i) as diferenças de atividade da Telomerase, expressão do RNAm das proteínas relacionadas a preservação do comprimento telomérico, assim como o comprimento do Telômero; ii) o estresse oxidativo e a capacidade antioxidante em repouso e após uma sessão de 30 minutos de exercício de carga constante em intensidade relativa ao limiar de lactato; iii) e se a magnitude do estresse oxidativo pós-exercício será um melhor preditor do comprimento do telômero em comparação à outros preditores de envelhecimento celular e de risco de mortalidade, como os índices de desempenho humano, fatores humorais circulantes, perfil lipídico, composição corporal e parâmetros hemodinâmicos; Nossa hipótese é que treinamento físico ao longo dos anos tenha proporcionado uma melhor defesa antioxidante nos atletas máster favorecendo o aumento da atividade da enzima Telomerase, a expressão do RNAm do TFR1, 2 e POT1 e, por sua vez, preservando o comprimento do Telômero quando comparado à indivíduos sedentários com e sem DM2, sendo que os indivíduos com DM2 seriam referência tanto para o estresse oxidativo aumentado quanto para telômeros curtos. Também acreditamos que a resposta do estresse oxidativo ao exercício agudo, seja um preditor do envelhecimento celular..
Situação: Concluído;
Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) .

Integrantes: Caio Victor de Sousa Silva - Integrante / Marcelo Magalhães Sales - Integrante / Herbert Gustavo Simões - Coordenador / José Morais Souto Filho - Integrante / Samuel da Silva Aguiar - Integrante / Thiago dos Santos Rosa - Integrante / Lysleine Alves de Deus - Integrante / Rosângela Vieira de Andrade - Integrante / Higor Geovane de Sousa Silva - Integrante.
2014 - 2016
EFEITOS DO TREINAMENTO RESISTIDO E AERÓBIO SOBRE MARCADORES DE ESTRESSE OXIDATIVO, NO2- E PRESSÃO ARTERIAL DE 24-H EM DIABÉTICOS TIPO 2
 
Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Marcelo Magalhães Sales em 14/04/2016.
 
Descrição: Cohen & XiaoYong (2010), comentam que uma elevada produção crônica de ERON pode levar a disfunção endotelial e, presumivelmente a HAS. Desta maneira, a HAS e DM2 coexistem com grande frequência, uma vez que, 20% dos indivíduos hipertensos são diabéticos, e até 80% dos diabéticos são hipertensos (Contreras et al., 2000). A elevada prevalência de HAS em indivíduos com DM2 pode ser em parte explicada pelo fato de que um elevado EO pode reduzir a biodisponibilidade de óxido nítrico, esgotando Tetrahidrobiopterina (BH4) - um importante co-factor da enzima óxido nítrico sintase, e também por aumentar os danos às células endoteliais e da musculatura lisa (Grossman, 2008). Por outro lado, uma recente e elegante revisão, aponta o exercício físico, especialmente o de natureza aeróbia, como uma importante ferramenta para o redução do EO, na medida em que, pode limitar consideravelmente a produção de marcadores de EO em humanos saudáveis ou diabéticos (Venkatasamy et al., 2013). No entanto, pouco se conhece a respeito dos efeitos do treinamento resistido (TR) sobre marcadores de EO, sobretudo em DM2 (Oliveira et al., 2012). Oliveira et. al (2012) verificaram as respostas do EO em diversos modelos de treinamento (aeróbio, resistido e combinado)em indivíduos com DM2. Em seu estudo, é possível identificar uma redução, ainda que não significativa (p>0,05), em marcadores oxidantes (TBARs) naqueles indivíduos que compuseram o grupo submetido ao TR, além de um aumento e/ou manutenção dos marcadores antioxidantes (Catalase, Superoxide dismutase, Glutationa peroxidase). Ademais, os autores também observaram um aumento, embora não significativo (p>0,05), do nitrito salivar, que por sua vez, pode ter induzido uma redução de 10 mmHg da pressão arterial sistólica (PAS) e de 2,5 mmHg da pressão arterial diastólica (PAD) . Entretanto, a literatura ainda mostra-se escassa de estudos que tenham investigado as respostas do EO, ON e pressão arterial (PA), em indivíduos com DM2 em comparação aos seus pares não diabéticos, o que pode ser relevante, na medida em que, essas duas populações podem responder de forma distinta a estímulos semelhantes (Kacso et al., 2014; Venkatasamy, 2013). Ademais, Oliveira et. al (2012), avaliaram apenas a PA casual após o período de treinamento, diferentemente da proposta do presente estudo, que reavaliará a PA a cada 4 semanas por um período de 24-h, utilizado-se da Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial. Com isso, esse estudo tem como o objetivo verificar e comparar os efeitos de 12 semanas de treinamento resistido e aeróbio sobre marcadores do estresse oxidativo, óxido nítrico e PA de 24-h entre indivíduos diabéticos tipo 2 e não diabéticos, aparentemente saudáveis.
Situação: Concluído;
Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (4) .

Integrantes: Caio Victor de Sousa Silva - Integrante / Marcelo Magalhães Sales - Integrante / Herbert Gustavo Simões - Coordenador / Ricardo Yukio Asano - Integrante / Rodrigo Alberto Vieira Browne - Integrante / Milton Rocha de Moraes - Integrante / Thiago dos Santos Rosa - Integrante / Rosângela Vieira de Andrade - Integrante / Verusca Najara da Cunha - Integrante.

 

Membro de corpo editorial


2016 - Atual
Periódico: Sports Medicine and Rehabilitation

 

Revisor de periódico


2014 - Atual
Periódico: Educação Física em Revista (Brasília)
2014 - Atual
Periódico: Revista Brasileira de Ciência e Movimento
2017 - Atual
Periódico: Physiology & Behavior
2018 - Atual
Periódico: International Journal of Sports Physiology and Performance

 

Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Educação Física.
2.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Fisiologia / Subárea: Fisiologia Humana.
3.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Educação Física / Subárea: Fisiologia do Exercício.

 

Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

 

Prêmios e títulos


2017
Prêmio de um dos 5 melhores trabalhos em apresentação oral (tema livre) no 7o Congresso Internacional do Conselho Regional de Educação Física da 7a Região, CREF7.
2016
Melhor trabalho na categoria Apresentação Oral no 6o ConCREF com o trabalho "Modelo regressivo não-linear de tendência de desempenho de atletas máster em provas de 100m, 400m e 10.000m", CREF7.
2016
5o Melhor trabalho na categoria Pôster no 6o ConCREF com o trabalho "Frequência de países de diferentes estratos socioeconômicos no ranking mundial de atletismo", CREF7.
2014
Prêmio de um dos 5 melhores trabalhos orais (temas livres) no 4º Congresso Internacional do Conselho Regional de Educação Física da 7ª Região, Conselho Regional de Educação Física da 7ª Região.
2014
Prêmio de um dos 5 melhores trabalhos em formato de pôster no 4º Congresso Internacional do Conselho Regional de Educação Física da 7ª Região, Conselho Regional de Educação Física da 7ª Região.

 

Produções



Produção bibliográfica
Citações

Web of Science
Total de trabalhos:26
Total de citações:25
Fator H:2
Sousa, Caio V  Data: 29/04/2018

SCOPUS
Total de trabalhos:11
Total de citações:28
de Sousa, Caio Victor; De Sousa, Caio Victor; De Sousa, Caio V; Sousa, CV  Data: 01/04/2018

Outras
Total de trabalhos:22
Total de citações:65
Sousa, CV  Data: 23/02/2018

 

Resultados de Avaliação